Arquivos



internet-freedomA Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos proporcionou uma importante vitória ao Governo Obama e aos defensores do princípio de igualdade entre todos os usuários da Internet. Em uma votação esperada havia anos, uma maioria de três contra dois membros da comissão decidiu regulamentar a norma conhecida como “neutralidade da rede”. Isso significa considerar o acesso à Internet como “utilidade pública”.

A disputa entre as empresas surgidas nas últimas décadas e as gigantescas companhias provedoras de acesso à Internet suscitou uma das maiores campanhas para decidir o futuro da rede. Em novembro, o presidente Barack Obama se pronunciou publicamente em defesa da decisão que a Comissão Federal finalmente adotou. O órgão, sobrepujado pelo debate na rua e na Internet, recebeu quase quatro milhões de cartas de cidadãos se declarando a favor ou contra a norma.

A Comissão Federal de Comunicações, uma comissão independente do Governo, encarregada de regularizar a indústria das telecomunicações, resolveu finalmente classificar o acesso à rede como “utilidade pública”. Até agora era considerado um serviço de informação, por isso o órgão não possuía competência para obrigar as empresas a tratar cada uma das conexões da rede dos cidadãos com o mesmo princípio de igualdade que rege as chamadas …




doaçãoO Brasil registrou crescimento nas doações e transplantes de órgãos em 2014, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO) divulgado na última segunda-feira. Foram 7.898 órgãos doados no ano passado, 3% a mais que em 2013.

A taxa de doadores também subiu de 13,5 por milhão de pessoas para 14,2 por milhão, no entanto, ficou abaixo da meta proposta pela associação para 2014, que era de 15 por milhão. Além disso, o índice está longe da alcançar o objetivo de 20 doadores por milhão pessoas até 2017.

De acordo com Lucio Pacheco, presidente da ABTO, a má distribuição das equipes que realizam transplantes pelo Brasil pode ser uma das respostas esta dificuldade.

Segundo o Ministério da Saúde, que coordena o Sistema Brasileiro de Transplantes, há mais de mil equipes preparadas para realizar cirurgias distribuídas pelo Brasil e 400 unidades prontas para atuarem nessa área.

Outro problema que dificulta a realização dos transplantes é a falta de autorização da família para a cirurgia. Medida pela chamada “taxa de negativa familiar”, o índice em 2014 ficou em 46%, apenas 1% menor que em 2013.

Pacheco complementa que é preciso reverter tal situação com mais campanhas educacionais, que …




Teoria da dor_MarisaSou uma pessoa tocada pela dor. Desde muito cedo. Refiro-me à dor física. Seria eu uma “alma eleita” para sofrer? Não sei. Já tive um pouco de tudo. Quando menina, dores de dente de uivar, dores de barriga, dores insuportáveis pelo corpo. Passava noites em claro, minha mãe esfregando um paninho com álcool nas minhas pernas. Peguei caxumba, sofri com furúnculos, terçóis (hordéolo) de não abrir o olho.

Entre 9 e 10 anos, tive os lábios queimados pela ingestão de um remédio para giárdias e uma unha arrancada do dedão do pé direito. Cólicas menstruais (dismenorreia) de faltar do colégio. A lista é comprida. Minha primeira dor de cálculo renal foi aos 15 anos, com internação em hospital e retirada da pedrinha por sonda. Já passei por 11 intervenções cirúrgicas, sendo nove com anestesia geral. Só a coluna, operei três vezes.

Durante muitos anos, depois de adulta, fui a maior consumidora de “Cataflan”. O laboratório tinha de me dar um prêmio. Ninguém no planeta comprou mais esse remédio do que eu. E “Dorflex”? Para mim é uma balinha. E “Tylenol”? Anda comigo, dentro da bolsa. Diga o nome de um analgésico disponível no mercado farmacêutico e eu já o tomei.…




Oliver SacksO escritor e neurologista Oliver Sacks, um dos cientistas mais brilhantes do nosso tempo, escreveu um ensaio para o New York Times em que narra ter poucos meses de vida. Mais do que uma reflexão sobre a morte, o neurologista fala sobre amizades, desprendimento, gratidão.

Abaixo, o artigo de Sacks.

Há um mês, eu sentia que estava em boas condições de saúde, robusto até. Aos 81 anos, ainda nado uma milha por dia. Mas a minha sorte acabou – há algumas semanas, descobri que tenho diversas metástases no fígado. Nove anos atrás, encontraram um tumor raro no meu olho, um melanoma ocular. Apesar da radiação e os lasers que removeram o tumor terem me deixado cego deste olho, apenas em casos raríssimos esse tipo de câncer entra em metástase. Faço parte dos 2% azarados.

Sinto-me grato por ter recebido nove anos de boa saúde e produtividade desde o diagnóstico original, mas agora estou cara a cara com a morte. O câncer ocupa um terço do meu fígado e, apesar de ser possível desacelerar seu avanço, esse tipo específico não pode ser destruído.

Depende de mim agora escolher como levar os meses que me restam. Tenho de viver da maneira mais …




emoticonsValorizando a diversidade, a Apple decidiu incluir novos emojis (ou emoticons), que contam com mais bandeiras, moedas e formações familiares.

A empresa apresentou esta semana uma nova cartela de emojis que visam respeitar a diversidade, com variedade de tons de pele e aspectos da cultura, como moedas de diferentes países e variadas formações de famílias.

A entidade responsável pela padronização de emojis no mundo já havia determinado que neste ano os emojis deveriam passar a contemplar outras cores de pele.

Segundo relatório da Unicode Consortium publicado em novembro, “pessoas de todo o mundo querem ter emojis que reflitam a diversidade humana, especialmente as diferentes cor de pele”.

As pequenas imagens que já recheiam mensagens ao redor do mundo foram agora incorporadas pela Apple em uma atualização do seu sistema operacional para Macs, o OS X 10.10.3, e no iOS (para iPhone e iPad) 8.3 beta 2.

Além da variedade na pele (ativada após manter o toque pressionado sobre algum emoticon), a Apple contemplou mais bandeiras, incluindo a do Brasil, México e África do Sul. Outra novidade são as diferentes composições familiares adicionadas, incluindo a união entre dois homens ou duas mulheres e filhos.…




Getulio H. de OliveiraEnquanto no Brasil a crise hídrica chama a atenção para o futuro do abastecimento energético pelas hidrelétricas, a ONU celebra em 2015 o Ano Internacional da Luz.

Se em países como a Alemanha, referência em energia solar, o uso deste tipo de tecnologia representa 20% da fonte de energia do país, no Brasil essa solução ainda está engatinhando. Em dezembro do ano passado, a Agência Nacional de Energia Elétrica contratou diversos novos projetos para a geração de energia solar, mas até então muito se dependia do empreendedorismo individual de quem queria fazer a diferença.

É o caso de Getulio Hoffmann de Oliveira, metalúrgico aposentado, morador de Sapucaia do Sul, na região metropolitana de Porto Alegre. Em 2013 ele instalou um conjunto de placas de energia solar e um alternador em sua casa, tornando-se o primeiro gaúcho a devolver o excedente de energia para a concessionária local, a AES Sul. Hoje já são 30 placas em sua propriedade, que produzem 900 kw por mês e abastecem um terreno onde fica a sua casa e outras duas onde moram seus filhos e netos.

Getulio afirma que em sua conta de luz paga apenas as taxas de administração local, mas reclama da falta …




legoQual a marca mais poderosa do mundo?

De acordo com pesquisa da consultoria Brand Finance, uma surpresa: a Lego destronou a Ferrari e se tornou a marca mais poderosa do mundo em 2015.

O título cobiçado coroa um ano de conquistas para a fabricante de brinquedos dinamarquesa. Em 2014, a marca lançou seu primeiro longa-metragem, o filme “Uma Aventura Lego”, um sucesso comercial e de crítica que ajudou a impulsionar a empresa para o topo da lista.

Segundo a Brand Finance, em um mundo “saturado de tecnologia”, os pais buscam cada vez mais a criatividade “back-to-basics”, que permite às crianças construir seus próprios mundos, tijolo por tijolo, como eles próprios faziam no passado. “O filme estimula essa nostalgia entre os novos pais e seus filhos e captura perfeitamente este apelo entre gerações”, diz a consultoria.

Já a fabricante de carros esportivos de luxo Ferrari não teve o mesmo desempenho. De acordo com o estudo da Brand Finance, a escuderia continua a ser uma marca muito forte, mas o brilho de ouro da década de 1990 está começando a se desgastar. Ao longo de um ano, a marca despencou do primeiro para o décimo lugar no ranking.

Para avaliar o poder das marcas, …




solTemos sido informados de que o principal fator de risco para o diabetes tipo 2 é a obesidade. Agora, no entanto, os cientistas descobriram que a falta de luz do sol aumenta o risco de diabetes mais do que o peso. Um novo estudo, alertou que as pessoas que têm baixos níveis de vitamina D são mais propensas a ser obesas e mais propensas a ter diabetes tipo 2.

Elas também são mais propensas do que as pessoas com níveis normais de vitamina D para ter pré-diabetes – uma condição que significa que o açúcar no sangue de uma pessoa é elevada. Se não tratada, elas são propensas a desenvolver diabetes tipo 2 dentro de uma década. O risco de síndrome metabólica – um termo médico para uma combinação de diabetes, tensão arterial elevada e obesidade – também é aumentada.

A síndrome metabólica coloca uma pessoa em maior risco de doença cardíaca, derrame e outras doenças que afetam os vasos sanguíneos. O novo estudo espanhol descobriu que era uma deficiência em vitamina D – apelidados de “vitamina do sol” – ao invés do peso de uma pessoa que aumenta o risco de diabetes.

Isso ocorre porque há uma relação direta entre os níveis baixos de vitamina D …




parquesA definição de “bonito por natureza” é normalmente associada às praias, mas o Brasil terminou 2014 com jeito de estar redescobrindo seu potencial ao ar livre. Apesar de os parques naturais ainda estarem bem distantes de serem opções tão concorridas quanto a areia e o mar, ao menos dois deles podem comemorar uma visitação recorde em 2014. No Rio, o Parque Nacional da Tijuca, onde fica o Cristo Redentor, recebeu 3,1 milhões de visitantes, enquanto as cataratas do Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, chegaram a 1,5 milhão de visitantes.

São números animadores, principalmente considerando que o total de visitas turísticas a parques brasileiros saltou de 1,9 milhão, em 2006, para 6 milhões, em 2013. Mas ainda há muito a ser feito. Nos Estados Unidos, por exemplo, 282 milhões de visitantes passaram pelas portarias de 58 parques nacionais em 2014. O movimento gerou US$ 14,6 bilhões, além de 252 mil empregos.

O Brasil tem hoje 71 parques nacionais, patrimônio natural considerado o de maior potencial turístico em um ranking com outras140 nações feito pelo Fórum Econômico Mundial, capaz de movimentar R$ 1,6 bilhão por ano.

Desde 2013, o Ministério do Turismo e o Instituto Chico Mendes (ICMBio), órgão …




waveQualquer um que já foi dar um mergulho em um dia de vento forte sabe da força das ondas do mar. Recentemente, a Austrália deu o primeiro passo para obter esta energia ao começar a operação da primeira usina hidrelétrica baseada em ondas de larga escala.

Apesar de existirem outros dispositivos menores que utilizam a força das ondas para distribuição de energia em grids maiores (como o Islay LIMPET do Reino Unido), a Perth Wave Energy Project australiana é a maior usina conectada a uma rede principal no mundo e opera diversos aparelhos de energia gerada a partir das ondas.

Há uma série de diferentes tecnologias desenvolvidas para tirar proveito das ondulações oceânicas, mas a tecnologia envolvida no projeto de Perth é única pois as unidades estão submersas, ao invés de flutuarem acima da água, o que as protege de serem atingidas por tempestades.

Por enquanto, a energia coletada não iluminará casas por toda a Austrália. Toda a energia gerada está sendo comprada pelo Departamento de Defesa australiano para alimentar a maior base naval do país, em Garden Island. Mas a Carnegie já está desenvolvendo a nova geração de seus equipamentos, ainda maiores, que de acordo com a empresa terá uma …





Feliz Dia Novo - Todos direitos reservados

Desenvolvido por CPC Informática